Notícias

Golpe de Leilão de Carros: Como funciona e como se proteger

golpe do leilão de carros - pátio com carros

Através de noticiários ou procurando na internet, você com certeza já se deparou com notícias e depoimentos relatando o desprazer de ter sido uma vítima em uma negociação relacionada à venda de veículos por meio de leilão, não é mesmo?! 

Esse instituto muito comum, não somente no Brasil, visa a contraprestação daquela entidade, pública ou privada, que possui a intenção de comercializar um veículo, seja por questão de espaço hábil (no caso de pátios de delegacias por exemplo), em virtude de sua antiguidade e uso, ou por ter sido alvo de sinistro, com a intenção de angariar fundos para substituição e atualização de frota.

Visto por muitos entusiastas e colecionadores como uma mina de ouro, ou por aquele que possui o sonho de consumo sobre um veículo importado, clássico ou para fim de retirada de sucata, o leilão se tornou um negócio interessante. Assim, aqui abordaremos maiores explicações e cuidados que devem ser tomados para não cair no prejuízo!

Como funciona o leilão de veículos?

Como dito acima, o leilão consiste na venda de veículos usados, vítimas ou não de algum tipo de sinistro ou então bloqueio financeiro. Para que ele ocorra, a instituição deve documentar e apresentar através de editais todas as informações pertinentes aos veículos objetos do negócio, para que o adquirente possa analisar a viabilidade de sua integridade física, bem como do valor para fins de lances.

Em território nacional é comum três tipos de leilão, sendo o primeiro aquele que ocorre em virtude de recuperação financeira, o de montadora e por fim, o de seguradora.

No caso em que acontece por vias de recuperação financeira, ele é organizado por instituições financeiras e bancos em que os veículos são recuperados pelo Detran, Polícia Federal e estatais devido ao inadimplemento.

O leilão de montadora é composto por veículos da própria frota da montadora, que podem ser utilizados para fins de teste ou operações internas, como é o caso daqueles carros que ficam em posse de executivos de alto escalão ou diretoria, ou até mesmo para fins de marketing, por exemplo. Geralmente os negócios envolvendo tais veículos são os melhores em razão do estado de conservação.

Por fim, o leilão de seguradora tem por base aqueles veículos recuperados de sinistro, que podem ter sofrido algum dano em razão de um acidente, terem sido utilizados como veículo de fuga por criminosos ou recuperados de furto e roubo. Esta opção de leilão nem sempre é a mais conveniente por motivos óbvios, pois a probabilidade de adquirir um veículo que já apresentou, ou irá apresentar defeitos em um curto período de tempo é muito maior. 

Independentemente do tipo de leilão apresentado nesse artigo, você deve, primeiramente, ler atentamente às informações presentes no edital e escolher o lote oferecido pelo organizador. Feito esta parte preliminar, deverá ser escolhido o lote de sua preferência para entrar na disputa e oferecer o lance superior ao lance mínimo.

Obviamente outras pessoas irão entrar no mesmo lote a fim de darem seus respectivos lances, vencendo aquele de maior valor, lembrando que  arrematado o veículo, a desistência da compra não é permitida.

Apesar de tudo parecer muito simples e direto, na prática muitas outras situações podem tirar o sono do possível arrematante, em virtude do alto número de sites falsos relacionados aos leilões, fazendo com que o visado lucro, acabe se tornando uma grande despesa. Acima de tudo, é necessário estudar desconfiando da empresa leiloeira, das informações veiculares, bem como valores, para não cair em uma cilada.

Quais são os riscos de um leilão de veículos?

Antes do surgimento da web as vistorias e visitas eram todas realizadas presencialmente, havia pouco (às vezes nenhum) recurso tecnológico como forma de avaliar de forma mais precisa as avarias, danos e dados dos veículos. Era mais difícil, também, constatar se alguma documentação estava avariada ou falsificada.

Apesar de aparentar ser mais benéfico do ponto de vista técnico (ora, havia um indivíduo constatando “todas” as possibilidades in loco, no veículo), nem sempre este profissional era de plena confiança, ou tinha conhecimento técnico suficiente. 

Com o avanço da tecnologia, novas ferramentas surgiram a fim de tornar as vistorias mais precisas, já que há tempos eram realizadas “no olho”. Câmeras e computadores específicos começaram a auxiliar os avaliadores e possíveis arrematantes que há muito dependiam daquele arcaico modo de documentação técnica.

Com a popularização da internet e dos marketplaces, os leiloeiros perceberam uma forma mais rápida de fazer negócio, porém ainda passíveis de erros e ilegalidades. 

Isso acontece, pois o veículo do leilão não pode ser testado e, em muitos casos, não sendo possível nem mesmo ligar o automóvel. Isso ocorre por inúmeros fatores, sendo um deles em razão da grande quantidade de veículos oferecidos em leilões, tornando inviável uma apresentação prática mais profunda. O risco de adquirir um modelo contendo inúmeros problemas mecânicos e elétricos é muito maior, fazendo com que o adquirente acabe sendo lesado, muitas vezes.

Outro risco é participar de leilões de empresas pouco conhecidas. Os veículos de leilão são conhecidos por possuir valor de mercado bem abaixo da Tabela FIPE, e muitas vezes, quando as empresas são fraudulentas, os veículos postos nos pátios e sites são igualmente suspeitos (sendo ofertado a valores ainda mais inferiores). Portanto, é necessário fazer uma busca mais detalhada em sites da Junta Comercial do estado de onde a empresa está inscrita, e/ou do local onde está ocorrendo o leilão.

Como posso me prevenir de um golpe?

Primeiramente deve-se estar atento (a) ao Edital liberado pelo Leiloeiro ou Site. Neste documento deverão constar todas as informações possíveis da entidade, como CNPJ, inscrição municipal e estadual, local do leilão completo, nomes dos responsáveis pela realização do feito, dados sobre os veículos (como inscrição no Detran do respectivo estado, placa, modelo e ano, nº do chassis), quais acessórios inclusos e opcionais constam no modelo, estado de conservação, vida útil de pneus, entre outros, apenas para mencionar os mais comuns. 

Com essas questões levantadas é muito mais fácil você evitar de cair em um golpe, podendo até mesmo, em caso de nítida ameaça a um direito líquido e certo, ser realizada uma denúncia contra a instituição leiloeira.

Como saber se eu estou fazendo um bom negócio?

Saindo da esfera legal, se faz importante mencionar, aliás, que o adquirente do veículo tenha noção do valor a ser dado como lance e os sucessivos aumentos pelo os outros interessados. Isso ocorre, pois muitos compradores se entusiasmam com a compra de determinado veículo, pagando erroneamente um valor muito superior, ficando no prejuízo, pois além do montante a ser adimplido pelo bem, serão considerados também os valores referentes ao (s): possíveis reparos supervenientes, 5% como forma de comissão ao leiloeiro, taxas administrativas, documentação pendente, verificação de prazo para retirada do veículo (ultrapassado o prazo, há multa em virtude da mora) e por fim, guincho.

Dicas de como saber se um leilão de veículos é falso

Você já pesquisou sobre o veículo a ser adquirido, suscitou todas as suas dúvidas a respeito do bem e já teve acesso ao edital, mas ainda acredita que é passível de fraude por parte da corporação que está leiloando os carros? Confira abaixo dicas de suma importância para não ser uma vítima!

Você precisa ter em mente que o pagamento (ou lance) a ser realizado deve obedecer a abertura do processo do leilão. Assim, se solicitarem pagamento adiantado para garantir seu acesso ou arremate a determinado automóvel, é sinal de fraude!

É necessário estar atento (a) aos dados de pagamento, pois caso dependa de transferência bancária, atente-se aos dados, para confirmar se fazem conexão com o nome e CPF, ou CNPJ do leiloeiro, bem como da instituição organizadora (inclusive consultar a Junta Comercial). Como têm sido comum os leilões acontecerem através da internet, principalmente após a instauração da pandemia, os contatos realizados entre as instituições e os arrematantes ocorrem por meio do whatsapp. 

Apesar da nítida facilidade, é uma das formas mais infelizes e ordinárias de um estelionatário estar ludibriando a negociação, sendo possível, aliás o envio de “links de ativação” que na verdade podem estar direcionando para sites de spam e vírus, a fim de furtar dados para utilização em futuras fraudes. Em casos como esse, indicamos que tente buscar o maior número de informações possíveis sobre o mediador e leiloeiro, evitando assim o sinistro.

Ainda, os sites fidedignos não demandam cadastro prévio para visitação dos bens ou veículos além de fornecerem a relação de veículos por escrito com as condições de venda impressas, para qualquer interessado visitante.

Estando na página da empresa de leilões, verifique se há um cadeado na barra de endereços, pois se aparecer a mensagem “site não seguro”, há uma alta probabilidade de se tratar de fraude. Aliás, o próprio site deve conter todas as informações pertinentes da empresa, como CNPJ e endereço. Utilize essas informações e recorra à busca do Cartão CNPJ (disponível no site da Receita Federal), para verificação de sua idoneidade, bem como outras informações no próprio site de pesquisas, pois é muito comum você se deparar com opiniões de outros usuários a respeito de determinada instituição ou produto.

Em muitos casos a empresa fraudulenta utiliza um logo muito diferente, ou de baixa qualidade em seu site e rede social, criando uma confusão entre as empresas. Por isso, uma outra forma de atestar a idoneidade da entidade é encontrar alguém que já tenha feito negócios anteriormente com a empresa.

Ainda, é interessante buscar em canais no Youtube que veiculam dicas a respeito de como adquirir um automóvel por meio de leilão, pois muitos dos apresentadores já possuem uma vasta experiência na área e poderá indicar os sites mais confiáveis a fim de concretizar o arremate.

O que fazer se cair em um golpe de leilão de veículos?

Para que sua ambição não se torne um pesado, seria interessante contar com uma assessoria jurídica especializada, já experiente na atuação em leilões de automóveis. Esse profissionais auxiliarão você com uma análise minuciosa e personalizada, com um viés técnico a respeito daquele leilão específico, onde farão toda uma investigação e, caso cheguem à conclusão de estarem diante de uma possível fraude, irão indicar empresas mais confiáveis a fim de concretizar um arremate realmente idôneo..

Agora, caso, infelizmente, você tenha sido vítima de uma fraude envolvendo leilões, se faz necessário dirigir-se até a delegacia mais próxima e registrar a ocorrência.

Em situações como essa é importante ressaltar que o demandante foi vítima do crime previsto no art. 171 do Código Penal, ou seja, de estelionato. Aquele que comete tal crime, após o devido processo legal, poderá cumprir até 5 anos de reclusão e pagamento de multa. Essa mesma pena poderá aumentar caso o crime tenha sido cometido durante a pandemia, em virtude de estarmos sob calamidade pública.

A vítima deve demandar sua representação para que as investigações tenham início. Além disso, é importante ressaltar que os golpistas, cumpridos requisitos da Lei 12.850/13, poderão ser responsabilizados pelo crime de Organização Criminosa.

Deve-se ter em mente que uma operação criminosa desse nível, geralmente conta com uma parceria de 4 ou mais indivíduos, trabalhando de forma ordenada, com uma organização de tarefas, a fim de se obter vantagem, sendo pressupostos subjetivos para enquadramento no crime supra citado. 

Como denunciar um site de leilão falso?

Infelizmente a quantidade de leilões e sites falsos é enorme, demandando ainda mais cautela por aquele que opta por essa modalidade negocial na compra de veículos. Portanto, denunciar um crime de cunho virtual é fundamental para combater essas práticas criminosas. 

Assim, sendo vítima de um crime virtual você deve reunir as informações e dados do crime. Tais documentações poderão ocorrer nas mais variadas formas, abrangendo números de telefones, print’s de tela de celular contendo conversações por meio de whatsapp, gravações, e-mails, fotos do site, bem como do indivíduo contatado durante todo o trâmite do leilão. 

Não é interessante, ademais, tentar confrontar os supostos estelionatários, pois ao menor sinal de desconfiança do arrematante, irão desaparecer.
Após dar entrada no Boletim de Ocorrência na Delegacia mais próxima, denuncie o site no endereço www.fraudeemleiloes.com.br, pois, por mais que às vezes não seja possível dar uma solução ao caso concreto, evita que os criminosos continuem atentando contra o sistema financeiro nacional e particular.

Categorias

Outras notícias

LGPD para imobiliária

LGPD para Imobiliárias

Em tempos modernos, a moeda mais valiosa é o direcionamento de leads (clientes), além de informação acerca dos imóveis, seus

Open chat